Vampeta ri de suas multas ao volante: ‘Tinha ponto para o Palmeiras voltar’

Astros da ‘Dança dos Famosos’, piloto Helio Castroneves e ex-jogador da Seleção contam histórias e falam de ‘habilidades’ fora dos campos e pistas

À primeira vista, não parece. Mas Vampeta e Helio Castroneves têm bastante em comum. Campeões e consagrados em seus esportes, o piloto e o ex-jogador se encontraram pela primeira vez no Linha de Chegada Entrevista desta semana. Exímios contadores de histórias, ambos aproveitaram o programa de Reginaldo Leme para lembrar dos tempos em que se arriscaram como dançarinos em programas de TV, e também de suas experiências posando nus para as lentes de fotógrafos. Mas o futebol e o automobilismo não deixaram de ser citados. Hoje atuando como dirigente, Vampeta garantiu que é bom ao volante, mas que gosta de acelerar. Tanto que já foi multado diversas vezes.

Linha de Chegada Reginaldo Leme Helio Castroneves Vampeta (Foto: SporTV.com)Reginaldo Leme, Helio Castroneves e Vampeta no ‘Linha de Chegada’ (Foto: SporTV.com)
  • Eu ando bem de carro. Já tive tanta multa que tinha até ponto para emprestar para o Palmeiras voltar à primeira divisão. E quando o Corinthians caiu, também tinha ponto para não deixar o Corinthians cair! Tinha uma pista de kart ali do lado do Parque São Jorge, e os jogadores sempre iam – diz o campeão da Copa do Mundo de 2002, que é cunhado do piloto Cristiano Frederico, que já correu na Stock Car Light e no Brasileiro de GT.

Torcedor do São Paulo, Helinho diz que gosta de futebol, mas que sua habilidade com a bola está longe de se comparar à sua atuação nas pistas de corrida. O tricampeão das 500 Milhas de Indianápolis admite que não se revelou exatamente um craque quando tentou jogar.

  • Eu sou piloto, já me viu jogando bola? Sempre brinquei, mas quando me arriscava, eu queria correr. A ponta direita era minha posição. Mas, na hora de cruzar, eu corria mais que a bola. Até que falei: “velocidade vai ter que ser no carro de corrida!” – brinca o competidor de 38 anos.
Helio Castroneves Stock Car (Foto: Carsten Horst / Divulgação)Tricampeão da Indy 500, Helio Castroneves voltará à Stock Car em agosto (Foto: Carsten Horst / Divulgação)

Habilidade na dança

Em sua 16ª temporada na Indy, o piloto de Ribeirão Preto está empolgado com a chance de participar novamente de uma etapa da Stock Car depois da experiência na Corrida do Milhão, que encerrou a temporada 2012. Convidado por Helinho para acompanhar sua participação especial na prova que será disputada em agosto, Vampeta tocou em outro ponto em comum entre os dois esportistas: a participação da Dança dos Famosos. O piloto foi campeão da edição norte-americana em 2007, enquanto o ex-jogador chegou à semifinal do programa Domingão do Faustão em 2009.

  • A coreógrafa passava tudo e eu achava que não ia pegar aquilo de jeito nenhum. Caía, machucava a dançarina. Ficava a semana toda ensaiando e no final de semana eu conseguia fazer aqueles passos. Eu não acreditava. E eu tive maus momentos, porque disputava com atores e às vezes eles interpretavam a música – lembra Vampeta.

Mesmo demonstrando uma habilidade impressionante para alguém que não dança profissionalmente, Castroneves garante que ele próprio se surpreendeu com o resultado.

  • Acho que não fui o vencedor. Minha dançarina era tão bonita que o pessoal deixava a gente ficar mais uma semana, numa de “vamos vê-la dançar de novo” (risos)… É realmente um esforço muito grande, o quanto a gente treina. A sua memória vai desenvolvendo de tal forma que você não sabe como é possível estar fazendo aquilo – afirma Helinho.
Vampeta e Rincon (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Exímio contador de histórias, Vampeta brinca com o lado bailarino e admite: cachaça dada pelo cantor Reginaldo Rossi o derrubou na semifinal da Dança dos Famosos (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Nascido na Bahia, Vampeta também aproveitou o programa do SporTV para contar o que provocou sua eliminação na atração do apresentador Fausto Silva. E logo no estilo em que ele mais confiava em um bom resultado.

  • Eu dancei com uma loura que eu queria estar com ela todo fim de semana. Mas o Reginaldo Rossi me complicou. Vinha tão bem, dancei jazz, valsa, mas na hora da minha praia, que era dançar forró, ele veio com uma cachacinha da Paraíba, com laranja. Tomei duas. Errei o primeiro passo e não me encontrei mais. O pessoal da produção queria me matar – recorda Vampeta, às gargalhadas.

http://glo.bo/189N9kx

, , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.