Projeto “Reconto – Cada qual no seu recanto” reúne grandes nomes da literatura

()

Bia Bedran – Niterói- RJ
Quando se trata da arte de cantar e contar histórias, o nome de Bia Bedran é uma das primeiras referências que costumam ser evocadas. Em 40 anos dedicados ao público infantil, Bia construiu uma carreira de sucesso, participando ativamente da infância de várias gerações, educando, permeando sonhos e estimulando a criatividade de crianças do Brasil inteiro. Bia Bedran também é graduada em musicoterapia e em educação artística e mestre em Ciência da Arte, um programa de mestrado da UFF (Universidade Federal Fluminense). Utilizando recursos musicais e teatrais, bonecos e adereços e as trilhas incidentais criadas para os textos de seus premiados livros infanto-juvenis, Bia Bedran canta e conta histórias ao mesmo tempo em que disserta sobre os encantamentos que permeiam a viagem da palavra através dos tempos.

Ana Sofia Paiva – Lisboa – PT
Atriz, narradora, cantadora e investigadora de tradição oral. Formada pela Escola Superior de Teatro e Cinema, graduou-se em teatro e mais tarde especializou-se em Promoção e Mediação da Leitura na Universidade do Algarve. Dedica-se, desde 2007, à narração de contos, dentro e fora de Portugal, centrando-se no conto maravilhoso e na musicalidade da performance oral.
É membro do Instituto de Estudos de Literatura Tradicional da Universidade Nova de Lisboa e da cooperativa Memória Imaterial, onde trabalha como investigadora, transcritora e recoletora de folclore poético e narrativo. Possui vasta experiência contando histórias em escolas e bibliotecas de Portugal e Festivais Nacionais e Internacionais de língua espanhola e portuguesa.

José Mauro Brant – Rio de Janeiro – RJ
Ator, cantor, autor e diretor de teatral com mais de 80 espetáculos no currículo, José Mauro Brant se define com uma só expressão: “Sou um contador de histórias”. Atuando no teatro profissional desde 1988, José Mauro trabalhou como ator com diretores como: Gerald Thomas, Ítalo Rossi, Werner Herzog, Aderbal Freire Filho, Naum Alves de Souza. Desde 1989 trabalha ininterruptamente em criações dedicadas à infância e juventude. Participou de montagens com importantes companhias como Cia de Teatro Medieval, Cia Pequod de Teatro de Animação entre outras. Trabalhou com importantes realizadoras como Karen Acioly, Cacá Mourthé. Foi 1993, junto ao PROLER (Programa de Leitura da Biblioteca Nacional) que Brant, começou a sua formação na linguagem dos contadores de histórias em ambientes de promoção de leitura. Em 1996 estreou seu primeiro espetáculo contando e cantando histórias: “Contos, Cantos e Acalantos” e, desde então, Brant se tornou referência e segue se apresentando em teatros, escolas, hospitais – em todo o Brasil e no exterior. Já publicou 4 livros e diversos artigos em livros de referência. Brant integrou programas ligados ao livro e a leitura como o PRO-LER (Biblioteca Nacional), Acelera Brasil (Fundação Ayrton Senna), Leia Brasil (Petrobrás); e participou de eventos por todo o país e em países como Espanha, EUA, Portugal, Colômbia e Cabo Verde. Participou, contando histórias, do programa televisivo: ABZ Ziraldo, comandado pelo famoso escritor na TV Brasil. Seu primeiro livro pela ed. Rocco foi duas selecionado pelo PNBE e distribuído para escolas públicas de todo o país. Hoje, Brant concilia seus espetáculos de narração com a criação e direção de espetáculos musicais: “Era uma vez… Grimm” e “O Pequeno Zacarias – uma ópera irresponsável”, parcerias com o maestro Tim Rescala, ganharam, ambos, prêmio APTR de melhor música. Em 2018, “Makuru um Musical de Ninar”, também lançado em CD em todas as plataformas digitais, ganhou 15 prêmios e 30 indicações nas principais premiações do teatro carioca, incluindo melhor texto e melhor espetáculo infantojuvenil.

Benita Prieto – Alhandra – PT
Nascida no Rio de Janeiro, filha de galegos, é curadora, consultora, produtora e mediadora de projetos de leitura. Escritora e Contadora de Histórias do Grupo Morandubetá. Criou o Simpósio Internacional de Contadores de Histórias do Rio de Janeiro. Estudou Engenharia Eletrônica, Teatro e fez especializações em Literatura Infantil e Juvenil e em Leitura: Teoria e Práticas. Desde 2012 pesquisa e ministra cursos sobre promoção de Leitura e Literatura Digital. É Coordenadora da Red Internacional de Cuentacuentos. Integra a Ações & Conexões Associação Cultural de Portugal.
Atualmente reside em Portugal onde tem participado em ações de promoção de leitura e narração de histórias no Caminhos de Leitura, Palavras Andarilhas, Folio, Rio de Contos, Rede de Bibliotecas Escolares e diversos eventos e espaços culturais. Benita completa 28 anos de narração oral, tendo atuado em 22 estados do Brasil e mais de 10 países, fazendo Conferências, Palestras, Oficinas, Cursos, Eventos, Apresentações e Espetáculos.

Roberto de Freitas – Belo Horizonte – MG
Nascido na Fazenda do Chico do Paiol, zona rural de Diogo de Vascocellos (MG), passou sua infância no escuro e, as vezes, iluminada pelas histórias que sua tia Efigênia lhe contava. E eram histórias de bichos falantes, de princesas e bruxas, de castelos mal-assombrados, eram só encantamentos. Eram histórias que ela tinha ouvido em sua infância. Hoje, Roberto de Freitas, mora em Belo Horizonte e é um dos mais destacados contadores de história do Brasil, pelo seu trabalho de pesquisa de contos e cantigas da tradição oral. Há 20 anos, vem desenvolvendo este trabalho, através de pesquisas realizadas – desde o Vale do Jequitinhonha até às margens do Rio Negro no Amazonas. Assim, contando e escutando, Roberto descobriu um novo país, de tradições fortes e culturalmente rico. Roberto, se dedica exclusivamente às histórias, apresentando-se em teatros, bibliotecas, bares, escolas, praças e empresas. Seu trabalho é marcado pelo ineditismo e pelo carisma com que relaciona com a sua platéia, pelo humor e musicalidade, elementos que contribuem para dar a qualidade à sua performance.

Luciano Pontes – Recife – PE
Luciano Pontes nasceu em Orobó, Agreste de Pernambuco, e mora no Recife, bem pertinho do rio Capibaribe. É escritor, ator, cenógrafo, palhaço e narrador de histórias. Integrou o elenco de atores-manipuladores do mamulengo Só-Riso, uma das principais companhias de teatro de bonecos do Brasil. Ganhou os prêmios: APACEPE de melhor cenário de dança com Oratórium (2002) e de melhor espetáculo e dramaturgia por “As Travessuras de Mané Gostoso”. Publicou diversos livros, entre eles: “Ouvindo conchas do mar”; “Uma história sem pé nem cabeça” e “O carrossel do tempo”. Pesquisa a oralidade e as linguagens teatrais com a “Cia Meias Palavras”. Desenvolve espetáculos e sessões de narrações autorais. Realiza o projeto de intervenção de contos e canções com o projeto: “Histórias de Porta em Porta”.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *