Dr Rogério Marques explica como funcionam os implantes dentais

Vários  motivos levam uma pessoa a precisar de um implante dental. Os mais comuns, durante a juventude, são acidentes em que o trauma compromete um ou mais dentes. Já a população da terceira idade muitas vezes recorre a alguns implantes para fixar ou estabilizar uma prótese móvel – solução muito melhor do que as antigas ‘dentaduras’. Seja como for, os implantes têm sido cada vez mais realizados e estão mais acessíveis e difundidos. Mas é importante saber que eles não são eternos e precisam de manutenção regular para preservar sua condição peri-implantar.
De acordo com Rogério marques, graduado em Odontologia pela Universidade de São Paulo e  especialista em implantodontia, mestre e doutor pela USP,  “os implantes passaram por um grande avanço nos últimos 30 anos, mas geralmente os pacientes não estão atentos ao fato de que é preciso reavaliar periodicamente as condições do implante. Eles não são eternos e, mais do que isto, pode haver complicações em caso de negligência”.

Marques diz que um dos principais equívocos dos pacientes é julgar que, por ser um dente artificial, os cuidados com o implante são diferentes dos cuidados que um dente natural exige. Ou seja, higiene regular e apropriada. “Só escovar os dentes, pelo menos duas ou três vezes ao dia, não é suficiente. É fundamental ter gengivas saudáveis. Um cirurgião-dentista deverá observar, regularmente, se há inflamação no entorno ou, inclusive, alguma deterioração da peça que possa vir a causar prejuízos à saúde do paciente. Afinal, quando negligenciado, esse quadro pode evoluir para a perda óssea e, obviamente, do implante em questão”.

O especialista revela que um dos problemas que mais acometem pessoas que têm implantes é a peri-implantite. Trata-se de uma doença infecciosa que afeta gengivas e ossos ao redor dos implantes dentários. Além de desconforto e dor, a peri-implantite pode comprometer a sobrevida do implante. “Fumantes, diabéticos, e pessoas com higiene bucal deficitária podem apresentar um quadro de peri-implantite. Em caso de perda do implante, muitas vezes não é possível sua reposição devido à perda óssea. Ou seja, a pessoa tem de lidar com um prognóstico muito ruim. Daí a importância de orientar as pessoas sobre como cuidar bem do implante, incluindo uma manutenção periódica”.

DrRogério tem vasta experiência em cirurgia de implantes, enxertos ósseos, próteses convencionais e reabilitação bucal, bem como aplicação de toxina botulínica e preenchimento facial.

“Devolver a autoestima de um paciente é o melhor pagamento pelo trabalho realizado. O que me dá mais prazer é atuar em reabilitações funcionais e procedimentos estéticos orofaciais”, disse DrRogério Marques.

, , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.