Curtindo seus carros antigos, Piquet admite: ‘Hoje a vida é mais prazerosa’

Artistas e CelebridadesBrasilUltimas Noticias

Written by:

Participando das Mil Milhas Históricas, rali de regularidade para veículos até 1980, tricampeão não sente saudade da F-1: ‘Foi um sonho que passou’

Seu último GP de Fórmula 1 foi há mais de duas décadas. Desde então, as entrevistas e aparições públicas são raras. Talvez seja justamente por isso que Nelson Piquet, tricampeão mundial, continua despertando a admiração de gerações que sequer o viram correr. O espírito fanfarrão permanece o mesmo, mas a experiência de 60 anos de vida e o tempo longe do esporte que o consagrou trouxeram novas prioridades à sua rotina. Aquele piloto que sempre demonstrou uma personalidade forte nos paddocks de todo o mundo atualmente aparenta a serenidade de um sujeito que sabe curtir a vida. Não que antes não soubesse, é bom frisar. Só mudou a maneira de fazer isso.

O tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet sentado em seu Mustang nas Mil Milhas Históricas (Foto: Alexander Grünwald / GLOBOESPORTE.COM)O tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet sentado em um Mustang, um dos cinco carros de sua coleção inscritos nas Mil Milhas Históricas (Foto: Alexander Grünwald / GLOBOESPORTE.COM)

Um dos xodós de Nelson é sua coleção de carros antigos. Dono de uma verdadeira frota composta por modelos clássicos de montadoras como Cadillac, Mustang, Jaguar, Rolls Royce, Puma, Ford, entre outras, o ex-piloto volta às origens quando está entre eles. Afinal, foi trabalhando como mecânico em Brasília, na década de 1970, que ele conseguiu seu primeiro dinheiro e começou a ser suficientemente independente para realizar o sonho de competir nas corridas da época. A primeira vez em um box de Fórmula 1 também foi sujando as mãos de graxa, limpando as rodas da Brabham de Carlos Reutemann. Poucos anos depois, era ele que estava no cockpit de um carro da equipe, derrotando o argentino, já piloto da Williams, na disputa pelo título mundial de 1981.

  • O problema é que a gente fica velho. Eu coleciono os carros que a gente admirava na época, nos anos 1970, 1950. Os carros pelos quais a gente sentia aquela vontade de ter um. E agora, com a possibilidade de ter, a gente compra, recupera os carros, deixa o carro em ponto de bala – conta Piquet, que restaura e trata suas jóias com todo carinho.
O tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet e a esposa, companheira nas Mil Milhas Históricas (Foto: Alexander Grünwald / GLOBOESPORTE.COM)A esposa é a companheira de viagem do tricampeão (Foto: Alexander Grünwald / GLOBOESPORTE.COM)

Colocar estes carros na estrada, aliás, foi o que motivou o tricampeão mundial a deixar sua casa em Brasília durante esta semana. Participando da terceira edição das Mil Milhas Históricas Brasileiras, um rali de regularidade para veículos antigos que vai de quarta a domingo, Nelson se diverte com alguns amigos de sua cidade.

Curtição entre amigos em seus ‘carros vivos’

Para a competição, que aceita carros fabricados entre 1919 e 1980, Piquet inscreveu um Jaguar 1970, com motor de seis cilindros. E ainda “emprestou” outro Jaguar, um Mustang e dois Corvettes para sua divertida caravana. Apesar da contagem de pontos nos postos de controle ao longo dos cerca de 1.600 km, ele diz que se encaixa na “categoria turista”, aproveitando as paisagens e a viagem ao lado da esposa, sem se importar minimamente com a pontuação na prova.

O tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet com seus amigos de Brasília: diversão nas Mil Milhas Históricas (Foto: Vera Lambiasi / divulgação)Nelson com seus amigos de Brasília: diversão nas Mil Milhas Históricas (Foto: Vera Lambiasi / divulgação)
  • O rali tem uma competição, nós é que participamos como turistas. É uma bela viagem para a gente, um grupo de amigos de Brasília que vai mesmo para se divertir. Meus carros antigos são carros vivos. Eu dirijo todo dia um diferente e os cinco carros que estão aqui são nossos. É uma curtição – ressalta Nelson, que no ano passado também inscreveu um Jaguar, mas um modelo com motor V12.

Em meio às conversas antes da largada e nas paradas programadas do rali, o que não falta é bom humor. Os amigos entregam: a paixão é tanta que é o próprio tricampeão quem cuida da limpeza e da manutenção dos carros, que devem preservar ao menos 90% da originalidade.

O próprio tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet cuida de seus carros nas Mil Milhas Históricas (Foto: Almyr Barros Jr / acervo pessoal)O próprio tricampeão de Fórmula 1 cuida de seus carros (Foto: Almyr Barros Jr / acervo pessoal)
  • Ele é o nosso mecânico. A gente só fica com a parte boa, que é dirigir e aproveitar a paisagem – diz Almyr Barros, um dos companheiros da comitiva que partiu de São Paulo e tem no roteiro os municípios de Mogi Guaçu e Águas de Lindóia, no interior paulista, além de cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais que faziam parte da famosa Estrada Real.

Aos 60, a irreverência de sempre

Posando para uma foto com uma dupla de portugueses inscrita na competição com um Fusca, ele recebe elogios do navegador pela antológica ultrapassagem que valeu a liderança (e a consequente vitória) no GP da Hungria de 1986, considerada por muitos especialistas “a ultrapassagem do século”. E dá risada ao perceber que o fã lusitano não lembra quem foi o ultrapassado – um certo Ayrton Senna.

O tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet e a dupla portuguesa nas Mil Milhas Históricas (Foto: Alexander Grünwald / GLOBOESPORTE.COM)Nelson e a dupla portuguesa nas Mil Milhas Históricas (Foto: Alexander Grünwald / GLOBOESPORTE.COM)

Em tempo: a língua afiada que fez a dor e a delícia de muitos jornalistas de sua geração continua soltando suas pérolas. Feito um menino travesso, Nelson admira sua coleção de automóveis, grande parte com capotas reversíveis, e repete sem parar:

  • Devo ter sido muito chifrado quando era garoto, porque adoro carro conversível! – diz, para se desmanchar em uma sonora gargalhada em seguida.
O tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet em seu Jaguar nas Mil Milhas Históricas (Foto: Alexander Grünwald / GLOBOESPORTE.COM)O Jaguar 1970 conversível foi o escolhido para a viagem (Foto: Alexander Grünwald / GLOBOESPORTE.COM)

O ritmo mais tranquilo e contemplativo de suas viagens ao volante de carros clássicos contrasta com a vida corrida e a tensão dos tempos de Fórmula 1, natural para qualquer competidor de seu nível. Na categoria máxima do automobilismo, Piquet correu por 14 temporadas, entre 1978 e 1991, e conquistou 23 vitórias, 24 poles, 23 melhores voltas e 60 pódios. Além, é claro, de três títulos mundiais. Questionado se sente falta da F-1, ele suspira e responde com a franqueza que lhe é peculiar.

  • Realmente é uma página virada. Foi um sonho que passou. Hoje, felizmente, minha vida é muito mais prazerosa do que foi no passado. Sem muita competição, sem nada, só colhendo os frutos de tudo o que aconteceu no passado – afirma, pouco antes de entrar no carro e pegar a estrada.
MOsaico Nelson piquet MIl milhas históricas (Foto: Alexander Grünwald)Tricampeão mundial de Fórmula 1 se diverte com os amigos em sua caravana composta por modelos Jaguar, Corvette e Mustang (Fotos: Alexander Grünwald / GLOBOESPORTE.COM)
MOsaico Nelson piquet MIl milhas históricas (Foto: Alexander Grünwald)Modelos de diversas montadoras, fabricados entre 1919 e 1980, podem participar das Mil Milhas Históricas Brasileiras (Foto: Alexander Grünwald / GLOBOESPORTE.COM e Vera Lambiasi / divulgação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.