Claudia Raia: “Me sinto uma adolescente”

Artistas e CelebridadesBrasilUltimas Noticias

Written by:

Em entrevista, atriz diz ser ciumenta, conta como é o seu lado mãe e fala sobre sua relação com Edson Celulari após o final do casamento. “Ele é um homem espetacular”

claudia raia (Foto: Lufe Gomes)

Durante uma pausa nos ensaios do musical Crazy for You, que estreia em novembro, em São Paulo, e do qual é produtora e protagonista, Claudia Raia recebe a repórter Giulianna Campos para responder as perguntas enviadas pelos leitores ao site de QUEM. Entre muitas risadas e carinhos em seu cachorrinho de estimação, o maltês Sushi, a atriz confessa que é difícil administrar a vida de mãe de dois filhos – Enzo, 16 anos, e Sophia, 10 –, de atriz e de namorada do ator Jarbas Homem de Mello. “Às vezes, tenho vontade de chamar um táxi e ir para a lua”, diz, bem-humorada. Aos 46 anos, ela afirma que não teme a proximidade dos 50 e revela que já levou fora de muitos homens.

1. Como se desvencilhou da imagem de símbolo sexual na televisão?
Melize Sartorato, Itatiba (SP)
Nunca disse “não me achem sensual, não me achem bonita”. Acho isso uma burrice. Se você usar isso num personagem é um plus. Poderia ter escolhido o caminho da bonita e da gostosa, que hoje, aos 46 anos, já estaria, talvez, em declínio. Ou eu simplesmente virava atriz, interpretando papéis que pudessem me aprofundar na carreira. Foi o que fiz.

claudia raia (Foto: Lufe Gomes)

2. O que é mais difícil na hora de fazer um musical: interpretar, dançar ou cantar?
Marcelo P. Almeida, Brasília (DF)
Brinco que é a arte de juntar os três cérebros. Porque tem que ter um cérebro para cada coisa, e elas não são compatíveis. O pior momento de todos é quando você vai juntar a letra com a coreografia. É quase impossível. Parece que nunca vai dar certo – mas dá!

3. Como foi morar em Nova York aos 13 anos?
Carolina Serra, Santo André (SP)
Saí de Campinas (SP) e fui morar naquela cidade imensa, nos anos 80, quando o racismo era complicado. Morava no Harlem (bairro de maioria negra) e era a única branca. Era um sufoco para entrar e sair de lá, mas foi muito bacana. Fui com uma bolsa de estudos de dança, mas fiz de tudo. Fui garçonete, dancei samba numa casa noturna… Na época, ainda chupava chupeta e esqueci ela no avião quando cheguei lá. Aí, pensei: “Está na hora de parar” (risos).

4. Alguma vez já pensou em desistir da carreira?
Talita Lima, São Paulo (SP)
Nunca! Ninguém me arranca daqui (risos). Sou capricorniana. Eu não desisto! Nunca tive dúvida dessa carreira, nunca me questionei.

5. Pretende ter mais filhos?
Rosa Mirela Andiglieri, Novo Hamburgo (RS)
Não. Na verdade não gosto de falar não, porque já fui tão determinante na minha vida, e as coisas foram mudando… Mas estou tão feliz com os meus dois filhos que não sinto essa necessidade.

claudia raia (Foto: Lufe Gomes)

6. Pensa em se casar?
Hermelinda, Bauru (SP)
Meu estado civil neste momento é junto. Acho que isso já explica. Rótulos são chatos. Estou junto com ele incondicionalmente. Não temos mais nenhum estágio para subir.

7. É ciumenta?
Beatriz de Paula, Santo André (SP)
Sou ciumenta, mas não controladora. Não fico perguntando onde está, se chegou, com quem está. E depende também do temperamento do homem. Se ele tiver o meu temperamento, preciso ficar três vezes mais atenta. Mas sou muito mulherzinha, trato meus homens como se eles fossem reis.

8. Como administra a vida de mãe, namorada e profissional?
Carolina Ribeiro, Campinas (SP)
Às vezes tenho vontade de chamar um táxi e ir para a lua (risos). Para me levar a algum lugar que ninguém me ache, que eu não tenha que ser três pessoas. É muito difícil. Tem que ter jogo de cintura, dar conta de tudo, ser brilhante, inteligente, incrível. E tem dias em que você não está nada disso.

claudia raia (Foto: Lufe Gomes)

9. Como é a relação com seu ex-marido, Edson Celulari?
Simone Assis, Porto Alegre (RS)
Nossa relação é ótima, maravilhosa. E não poderia ser diferente, porque vivemos uma grande história de amor. E tivemos um final feliz, acabou de um jeito superleve. O Edson é um homem espetacular, tenho muito orgulho de ter sido casada com ele, de ele ser pai dos meus filhos. Ele era o melhor pai que podia ter escolhido para eles.

10. Como seus filhos reagiram quando começou a namorar?
Leide Barbosa, São Paulo (SP)
Eles já conheciam o Jarbas, já gostavam dele. Mas quando vira o namorado da sua mãe é diferente. Contei antes de todo mundo, quando estávamos na África do Sul. Eles entenderam, sacaram e me perguntaram se eu estava feliz.

11. Já levou fora de algum homem?
Rose Grandim, Itu (SP)
Lógico, vários! Já levei fora quando tomei atitude antes do homem, o que é bem a minha cara. Já aconteceu de o cara falar “não dá mais”. Mas os motivos eram sempre bacanas. Uns diziam: “Não aguento uma mulher como você. Você é muito forte para mim”. Outros diziam: “Você vai ser a maior estrela deste país, preciso ter uma pessoa abaixo de mim”. Motivos que até elevavam minha autoestima (risos).

Claudia Raia (Foto: Lufe Gomes)

12. Qual foi o boato mais maldoso que inventaram sobre você?
Teresa Perez, Itapira (SP)
Que era amante do Fernando Collor e que eu era HIV positivo. Foi um problema sério. Ninguém sabia nada sobre a Aids, achavam que, se chegasse perto, contaminava. Meu teatro ficou vazio, minha mãe quase infartou.

13. Ser alta já foi um problema?
Elizabeth Lelo, Eloi Mendes (MG)
Sempre amei ser alta. Porque era feia na adolescência. Aprendi a ser a alta carismática, porque não tinha saída. Tinha uma amiga que era muito linda, então ou eu ganhava (os homens) na lábia ou perdia tudo para sempre. Nunca fui a Rainha dos Estudantes, a mais bonita da escola, mas eu era a Rainha da Primavera, a Miss Simpatia.

14. Assusta a proximidade de completar 50 anos?
Nilton Rocha, Botucatu (SP)
Nem penso nisso. Me sinto uma adolescente de 14 anos de tão animada que sou. Não sei nem aonde vou com essa animação toda (risos). Acordo querendo mais. É uma coisa mega-adolescente, que não tem nada a ver com 50 anos.

15. Gosta de rever as novelas que fez?
Juliana Simões, Guarapari (ES)
É muito legal, gosto de ver o que fiz. Também vejo os defeitos. Mas não tenho vergonha do cabelo permanente nem do nariz sem plástica. Sou a primeira a dizer: “Olha o nariz velho. O que é esse camaleão, pelo amor de Deus?” (risos).

claudia raia (Foto: Lufe Gomes)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.